FilosofiaLivros

Nas Trilhas De Edith Stein – Gênero em Perspectiva Fenomenológica e Teológica

Clélia Peretti1

A presente obra visa a fazer uma análise fenomenológica e teológica do feminino em particular, a partir das investigações realizadas por Edith Stein. Ao longo destas páginas, busca-se, também, examinar a relação do ser humano com a dimensão religiosa, em particular com aquela da teologia cristã católica. Olhando, desprovido de preconceitos, verifica-se que existe uma profunda conexão entre a questão feminina e a experiência religiosa.
Edith Stein, em seu itinerário filosófico-existencial, coloca a questão da mulher e do ser humano em relação com Deus. Não se trata, desse modo, de projetar novidades, fazer uma biografia, uma exposição integral e analítica da filosofia de Edith Stein, mas apreender no conteúdo de seus escritos a unidade de pensamento sobre a condição da mulher. Para tanto, apresentamos a análise das obras escritas por Stein de diferentes períodos, a fim de retirar de seu construto teórico a fundamentação para o tema aqui proposto: Nas trilhas de Edith Stein: gênero em perspectiva fenomenológica e teológica.

Na leitura da obra, o leitor depara-se com a descrição do método fenomenológico, este teve grande influência na formação filosófica e no itinerário intelectual de Edith Stein. O método fenomenológico possibilitou-lhe identificar na pessoa humana seu núcleo profundo e investigar os vários campos da ciência, não só das ciências da natureza, das ciências do espírito e da psicologia, mas também da arte, da história, do direito, da ética e da mística. Em seus escritos, Stein resgata também os significados ontológicos de natureza e essência da mulher, a forma feminina de abordagem das questões relacionadas com o “mundo-da-vida” e o papel da mulher na “comunidade”.

A obra enfatiza a posição de Edith Stein diante dos movimentos feministas de sua época e, também, sua formação filosófica, humana e religiosa para poder indagar a nova posição da pensadora alemã no âmbito da questão feminina. Objetiva analisar a perspectiva fenomenológica na análise do ser humano como um sujeito masculino/feminino, situando-nos no contexto dos estudos de gênero que nasceram com o intuito de considerar, sobretudo a dimensão feminina.

Do ponto de vista teológico, a relação homem/mulher é analisada à luz da tradição judaico-cristã, ligada à imagem de Deus, apresentada no texto bíblico do Gênesis e desenvolvida na tradição bíblica do Novo Testamento na Imagem da Trindade e de Maria como a Theotókos e o protótipo feminino. Com esse intuito, lança um olhar especial para a tradição cristã, tendo como referência à Carta Apostólica Mulieris Digintatem de João Paulo II, suas abordagens relacionadas à dignidade e à vocação da mulher, sua inserção e liderança feminina nas comunidades de fé, nos movimentos culturais e sociais, de modo particular seu “gênio feminino”.

Particular atenção será dada ao conceito de comunidade, à pluralidade de suas configurações e ao impacto da práxis feminina na formação humana em geral a educação feminina. Destaca-se, dentre as dimensões pedagógicas da obra de Edith Stein, a empatia como experiência originária de encontro, como possibilidade de comunicação e de relação intersubjetiva e como proposta para a formação de mulheres protagonistas para o desenvolvimento de uma Igreja na recuperação de sua diaconia.

Para tanto, a obra discute os seguintes temas: Edith Stein e seu protagonismo feminino; Contribuições da fenomenologia no estudo do sujeito humano; Gênero, perspectivas antropológicas e fenomenológicas; A questão feminina no contexto histórico e contemporâneo de Edith Stein; A mulher e suas esperanças na Igreja e na sociedade atual. Diante dessas assertivas, buscamos traçar um quadro que ilustre não apenas a posição de Edith Stein diante da condição da mulher, mas também como “o pensamento feminino” contribuiu para uma nova cultura da mulher, com suas contradições e diferenças.


PERETTI, CLÉLIA. Nas Trilhas de Edith Stein. Gênero em perspectiva fenomenológica e teológica. 1. ed. Curitiba: Appris Editora, 2019. v. 1. 323p.

Notas

  1. Clélia Peretti é Graduada em Pedagogia pela Libera Università Maria Santíssima Assunta, Roma – Itália (1990). Possui Magistério em Ciências Religiosas pelo Pontifício Ateneo Antonianum, Roma – Itália (1997). É Licenciatura em Pedagogia pela Universidade do Sagrado Coração, Bauru – SP, Brasil (1998). É Bacharel em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, PUCPR, Curitiba- PR (2010). Possui Licenciatura em História pelo Centro Universitário Claretiano, Curitiba -PR (2016). É Especialista em Gestão de Escolas pela PUCPR (2000) É Mestre em Educação pela PUCPR (2002). É especialista em Educação a Distância pela Universidade de Brasília, UNB (2007). É Doutora em Teologia pela Escola Superior de Teologia EST, São Leopoldo-RS (2009). Fez pós-doutorado em Fenomenologia pelo Centro Italiano di Ricerche Fenomenologiche e Pontifícia Universidade Lateranense – Roma (2015). Docente e pesquisadora no Curso do Bacharelado de Teologia e no Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em Teologia – PPGT da PUCPR.

Nas Trilhas De Edith Stein – Gênero em Perspectiva Fenomenol…

por site Edith Stein Tempo de leitura: 4 min