Pedagogia

A consciência no processo de formação docente: luzes a partir de uma onto-antropologia em Edith Stein

Vera Fátima Dullius1

A pesquisa sobre “A consciência no processo de formação docente: luzes a partir de uma onto-antropologia em Edith Stein” está vinculada à linha de Pesquisa Teologia e Sociedade do PPGT da PUCPR e ao projeto de pesquisa Contribuições teológico filosóficas para interpretação do fenômeno religioso”. Investiga o desenvolvimento da consciência no processo de formação docente no curso de Pedagogia de uma Instituição de Ensino Superior em Curitiba, PR. Objetiva reconhecer, nas obras de Edith Stein, os pressupostos antropológico-filosóficos da formação humana e da consciência e identificar elementos que contribuem para o desenvolvimento de uma proposta metodológica de formação docente inicial, a partir de investigações da prática pedagógica em uma Instituição confessional que oferta o Curso de Pedagogia.

A metodologia utilizada foi a fenomenologia proposta por Edith Stein, seguida por contribuições de autores contemporâneos que aplicam o método fenomenológico na área de educação. A pesquisa desenvolveu-se em duas etapas: revisão bibliográfica das obras de Edith Stein e pesquisa de campo. Para a análise dos dados, descrição, tratamento e análise do conteúdo, utilizou-se o Software Atlas.ti.
Como resultados, obteve-se que as obras de Stein apresentam teses contundentes sobre quem é o ser humano, sua estrutura e dimensões que compõem sua singularidade. Destaca-se a formação da consciência como premissa para educação da vontade, da liberdade e da individualidade. Com a pesquisa de campo, obteve-se que as vivências e seu conteúdo confirmaram a necessidade de uma formação humano-integral nos cursos de formação inicial docente, com especial atenção aos valores, à singularidade, às relações interpessoais e ao encontro empático no processo formativo. A pesquisa resultou em um roteiro para desenvolver um projeto com foco na formação humana e da consciência.

Jornada pessoal

O desenvolvimento da pesquisa permitiu ampliar a compreensão do conceito de formação humano-integral e de consciência a partir dos pressupostos onto-antropológicos e teológicos (STEIN, 1932-1933/2013) presentes nas obras de Edith Stein. Compreendeu-se que não era possível trilhar esse caminho sem a vivência de dois grandes momentos: um aprofundamento dos temas apresentados por Stein no contexto da formação e da consciência para apreender a cosmovisão de Stein sobre o ser humano e a formação (STEIN, 1930/2017) e, também, ir a campo para averiguar no contexto de uma instituição de formação qual o lugar da consciência no processo de formação. A percepção e reflexão sobre as evidências, originadas no campo de pesquisa e articuladas com as luzes que surgiram a partir do estudo das obras de Stein, permitiram intuir uma proposta formativa.

A densidade da proposta formativa de Stein, testemunhada pela sua prática docente, evidencia-se como atual, plena de sentido no contexto da realidade brasileira. A ressonância das verdades apresenta-se como eco na falta sentida pelas estudantes e na certeza dos profissionais que reconhecem o quanto essa dimensão precisa ser priorizada no processo de formação.

O caminho percorrido instiga a continuar aprofundando para ampliar a clareza para iluminar a realidade da formação da consciência como um campo de saber vivencial específico. Esse saber é imprescindível que integre a formação de docentes no curso de Pedagogia.

Para Stein, a formação é um processo conectado com a forma interior. É por isso que, no caso dos seres humanos, a formação não se limita à transmissão de conhecimentos ou saberes de um indivíduo a outro. Vai muito além e de modo muito mais profundo. A formação é um processo de colaboração, para o desenvolvimento da pessoa por meio da sua força vital, para que esta se torne aquilo que deve ser, segundo suas potencialidades internas, ou seja, para que se realize em ato o que está prescrito na sua forma substancial.

A vida-obra de Stein atravessou com profundidade a vida da pesquisadora que nunca mais será a mesma mulher, mãe e docente. Concomitante com o desenvolvimento de um trabalho acadêmico, constituiu-se um processo de maturação humana.

Notas

  1. Doutorado em Teologia na Pontifícia Universidade Católica do Paraná na linha de pesquisa Teologia e Sociedade (2019). Realiza pesquisas em Edith Stein, consciência, fenomenologia e formação docente. Cursa MBA Educação Híbrida, Metodologias e Gestão da Aprendizagem. Mestre em Educação (2007) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na linha de pesquisa de Gestão e Políticas Educacionais. A Dissertação trata das “Políticas de Formação Docente: oferta da formação inicial no Rio Grande do Sul e a relação com as demandas da Educação Básica”. Graduada em Pedagogia (1996) e Administração de Empresas (2011). Especialista em Psicopedagogia Institucional (1998). Formada em Magistério de primeiro grau de 1ª a 4ª série (1989). Exerceu funções de direção de escola de Educação Básica, assessoria pedagógica e gestão de Projetos Sociais. Experiência em Direção Geral e Direção Acadêmica de Instituição de Ensino Superior. Exerce docência em cursos superiores. Coordenação de Curso e atualmente Coordena o Núcleo de Educação a Distância da FAE Centro Universitário, Curitiba-Paraná. Experiência na área de Educação com ênfase em legislação, empreendedorismo, políticas de formação docente, formação humana, gestão educacional, planejamento e avaliação do Ensino Superior e Educação a Distância. Desenho Educacional de material didático para Educação a Distância.

A consciência no processo de formação docente: luzes a partir …

por site Edith Stein Tempo de leitura: 4 min